Quer profissionais pró-ativos em sua empresa? Saiba como reconhecê-los

Confira cinco qualidades essenciais de pessoas criativas produtivas, seguida por algumas recomendações de como descobrir em potenciais contratados, colegas de trabalho, e colaboradores de sua empresa.

1. As habilidades de comunicação
Albert Einstein: “Se você não consegue explicar de forma simples, você não entende bem o suficiente.”

Se você está liderando uma equipe, gerenciamento de clientes, ou a formação de um novo contratado, a capacidade de comunicar de forma clara e concisa é uma habilidade absolutamente essencial. Devemos desenvolver a capacidade de gerir eficazmente os nossos canais de comunicação (e-mail, Twitter, Facebook, etc), para reunir pessoas em torno de nossas idéias, e para trabalhar bem com os outros – os nossos colaboradores e nossos clientes.

Como testar:
Uma maneira fácil de testar esta capacidade é por um candidato para explicar uma tarefa simples. Se você estivesse contratando um Administrador de Sistemas, por exemplo, você pode perguntar algo como: “Diga-me através do processo de configuração de um servidor web.” Não tem que ser uma questão difícil, o objetivo é obter uma visão da capacidade de comunicar com clareza.

2. Pró- atividade
99% : “Aqueles que tomam a iniciativa possuem a tenacidade e um nível saudável de impaciência com ociosidade. “ Julgamos as pessoas baseado nas suas experiência. Esta é, naturalmente, toda a base do currículo. No entanto, enquanto a experiência profissional é valiosa, precisamos cavar mais fundo. O melhor indicador da criatividade produtiva é a disposição para agir e tomar a iniciativa de colocar uma ideia em ação.

Como testar:
Informe-se sobre os casos anteriores onde o candidato foi proativo. Peça para explicar como e porque começou nos lugares listados em seu currículo. Pergunte: “Se eu colocá-lo hoje no comando da empresa, o que você faria diferente” ou “Quais são algumas coisas que você mudaria sobre o produto (ou processo de vendas, ou website, etc) se você tivesse a chance? ”

3. Resolução de problemas
Designer Michael Beirut: “O problema contém a solução.”
Os criativos bem-sucedidos dessa forma não vê problemas como problemas – eles vêem como oportunidades. “Pensar fora da caixa”, nada mais é do que a resolução criativa de problemas – a habilidade de chegar a novas soluções, olhando além das abordagens óbvias ou tradicionais.

Como testar:
Ao entrevistar candidatos para a sua equipa criativa, não incidir sobre as questões principais. Em vez disso, faça perguntas que enfatizam e oferecem insight no pensamento do candidato. Um exemplo de uma boa pergunta para um gerente comunitário poderia ser: “Como você lida com um cliente irado que não para de postar comentários negativos em mural de mensagens?”

4. Curiosidade
Filósofo francês Voltaire: “Julgue um homem pelas suas perguntas do que por suas respostas.” Quem já teve um momento de “Eureka!” sabe que a ousadia de fazer uma nova pergunta vai um longo caminho para encontrar a solução certa. Além do mais, um elevado nível de curiosidade – a marca de uma mente curiosa – é normalmente um indicativo de outras boas qualidades, como a criatividade, desenvoltura e destemor. Tende também a espantar o tédio e apatia – sentimentos envenenam todo o esforço criativo.

Como testar:
Ao entrevistar uma potencial contratação, observe quantas perguntas pedem espontaneamente , e quanto já aprendeu sobre sua empresa. Você também pode fazer perguntas simples como: “Conte-me sobre algo fora de sua área de especialização que você aprendeu recentemente?”ou “Qual foi o último livro que leu, e por quê?”

5. A assunção de riscos
Coreógrafa Twyla Tharp, “Se você só faz o que sabe e faz isso muito, muito bem, as chances são que você não vai falhar. Você só vai estagnar, e seu trabalho vai ficar cada vez menos interessante, e isso é falha pela erosão.” Para Tharp, inventor James Dyson, e inúmeros outros, o fracasso é um símbolo de conquista, pois significa que você tomou um risco, que tentou algo novo. Estar aberto ao risco (e, portanto,a falha) é fundamental. Só podemos realmente aprender e desenvolver quando nos esforçamos fora da nossa zona de conforto.

Como testar: 
Um exemplo de pergunta: “Dê um exemplo de uma situação onde você acha que se arriscou ou contrariou um ponto de vista.” Ou se tem alguma coisa que o candidato lamenta não ter feito em seu trabalho anterior. Geralmente as pessoas arrependem das coisas que não fizeram, mais do que aqueles que fizeram. Assim, o arrependimento e a assunção de riscos geralmente trabalham (vagamente) na proporção inversa ao outro.

Fonte: Por Eliana Cha do Jornal do Empreendedor
http://www.jornaldoempreendedor.com.br/

 

Se você gostou desse post, deixe um comentário ou Assine nosso RSS para receber nossos futuros artigos em seu leitor de feeds.
0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Agência Digital Full Service, fundada em 1997. Ideias para Simplificar a sua Empresa.

Comentários no Facebook